ONDE? QUEM? COMO?

João 4:20-24 (NVI)

20Nossos antepassados adoraram neste monte, mas vocês, judeus, dizem que Jerusalém é o lugar onde se deve adorar”.21Jesus declarou: “Creia em mim, mulher: está próxima a hora em que vocês não adorarão o Pai nem neste monte, nem em Jerusalém.22Vocês, samaritanos, adoram o que não conhecem; nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus.23No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura.24Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade”.

Estando a mulher samaritana diante de um profeta, surge uma pergunta: Onde se deve adorar a Deus? Na cabeça daquela mulher estava a questão: Qual a verdadeira religião? Jesus responde dizendo algumas verdades que se iniciariam a partir de sua morte e ressurreição.

Primeiro, o Mestre elimina o aspecto “geográfico” da adoração a Deus. Deus não está em um lugar específico, como pensam alguns. A necessidade de se sacralizar um espaço, é remanescente do Antigo Testamento, mas é importante entender que Deus nunca esteve somente no Santo dos Santos, existente no Templo, mesmo sabendo que sua presença divina estava lá, pois assim se relacionava com o homem. O movimento divino de romper com tal enclausuramento fica claro no texto bíblico que nos diz (…) o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo. (…) Mateus 27:51 (NVI) sinalizando, que Deus não estaria mais ali dentro, e que a insistência de alguns em irem além do véu, pode se transformar em grande decepção, pois Deus escolheu estar presente onde há um coração quebrantado e desejoso de uma relação com Ele.

Assim é necessário perceber Deus presente em nosso dia a dia e nos lugares mais comuns, pois o santuário, agora, é a vida de quem ama e adora a Deus.

Em segundo lugar, Jesus descontrói o monopólio judaico da salvação, pois dentro de pouco tempo, sua morte e ressurreição abriria, definitivamente, o caminho da graça a todo aquele que crê no Filho de Deus. Assim, a salvação não é mais étnica ou hereditária, mas ocorre pela fé em Cristo Jesus e está disponível a samaritanos, brasileiros, ricos, pobres, ignorantes, intelectuais, ou seja, a todos.

O terceiro esclarecimento relevante que Jesus dá, é que Deus procura adoradores que o adorem em espírito e em verdade. Na religião, o espírito é relevado e frequentemente desprezado, pois em seu lugar está o que é palpável.

Nas palavras de Jesus, ninguém pode se relacionar com um Deus que é espírito pela via do material, assim Ele procura que o adora em espírito e através do Espírito.

Também é na esfera da religião que se percebe a presença da distância entre o que se fala e o que se vive. A igreja é o habitat dos hipócritas, que aparentam o que não são e nem querem ser. Jesus diz que Deus procura gente autêntica e verdadeira, que se aproxima de Deus em sinceridade de coração, sabendo que é pecador, mas sabendo também que pela graça foi salvo.

Jesus descontrói a religião estabelecida no material, na hereditariedade e na falsidade. Cabe aquele que deseja uma relação com Ele observar-se e fugir de tais armadilhas tão comuns no círculo religioso. Que Deus nos ajude!

Hamilton Gomes

1 comentário

    • Kaio Pinheiro em 17 de novembro de 2021 às 06:58
    • Responder

    Sensacional Hamilton, que bênção!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: