PADRÃO

João 4:7-9 (NVI)

7Nisso veio uma mulher samaritana tirar água. Disse-lhe Jesus: “Dê-me um pouco de água”.8 (Os seus discípulos tinham ido à cidade comprar comida. )9A mulher samaritana lhe perguntou: “Como o senhor, sendo judeu, pede a mim, uma samaritana, água para beber? ” (Pois os judeus não se dão bem com os samaritanos.)

O espanto da mulher samaritana se dá pelo motivo que o próprio texto esclarece: preconceito; desprezo; ódio. Coisas que aconteciam e ainda acontecem, foram interrompidas por uma aproximação inusitada que quebrou o ciclo padrão de violência e desprezo.

Nos padronizamos em nossa escolha pelo mal.

Somos surpreendidos quando uma carteira encontrada é devolvida, quando um bom dia e um sorriso são retribuídos, quando um estranho doa seu sangue para ajudar o outro, quando um motorista agradece, quando um velhinho é ajudado, quando um abraço sem interesse nos é dado. O que deveria ser regra é a exceção.

O Cristo vem para nos ensinar a encurtar distâncias, ter preconceito do preconceito e fazer da exceção à regra entre nós, amando a Deus acima de tudo e ao próximo como se fossemos nós mesmos.

Hamilton Gomes

1 comentário

  1. Texto muito edificante! Glória a Deus! 🙏🏼

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: